matéria: Como se tornar um palestrante de sucesso.

Veja matéria publicada no site Coletiva.Net.
No palco, profissionais dispostos a compartilhar conhecimentos e experiências. Na platéia, dezenas, às vezes, centenas de ouvintes ávidos por informações que proporcionem desenvolvimento pessoal e profissional. Esse é o atraente mercado de palestras, que vem crescendo dia-a-dia no Brasil

e consolidando a promissora carreira de palestrante. Se até pouco tempo atrás apenas economistas famosos, altos executivos, políticos e respeitados jornalistas se aventuravam a enfrentar grandes públicos, muitas vezes sem remuneração, hoje este cenário mudou, com a entrada de profissionais, das mais diversas áreas, que sonham em encantar platéias e serem muito bem pagos por isso.

Em um mercado tão competitivo, as empresas investem cada vez mais em treinamentos e palestras para melhorar o ambiente de trabalho e aumentar a produtividade. A palestra deve ser encarada como o início de um processo que, em conjunto com outras ações, pode trazer grandes mudanças nas organizações. Desde o início do ano de 2000 a procura por estes profissionais tem sido grande. Com isso, muitos cobiçam entrar nesse mercado, mas ainda com pouco ou nenhum preparo. Não dá para imaginar nos dias de hoje um evento coorporativo sem uma palestra ou apresentação, que muitas vezes é a atração mais esperada, ocupando posição de destaque.

A carreira de palestrante, como todas as outras, também tem o seu "caminho das pedras". O mercado é exigente e auto-regulador: fecha-se para os profissionais despreparados, mas dá lugar e oportunidades àqueles que buscam o aprimoramento contínuo por meio do estudo e da auto-superação. Pensando nesse mercado, cada vez mais as empresas buscam profissionais que saibam se expressar adequadamente, que sejam seus grandes porta-vozes, e isso não se limita somente à oratória, mas também à elaboração de textos e discursos a serem apresentados. As empresas querem seus próprios palestrantes, os seus próprios representantes em convenções e seminários. A palestra tem um papel fundamental nas organizações, pois serve para apresentar projetos, produtos e ações de marketing direto.

O maior desafio do profissional que está diante de uma platéia é conseguir transmitir a mensagem de forma clara e correta. Não é fácil conseguir atenção total da platéia, e qualquer deslize cometido pelo palestrante ou apresentador pode não só comprometer a mensagem, como até arruinar um projeto ou uma idéia. Para realizar uma palestra ou apresentação envolvente e eficaz, não basta ser desinibido e falar bem em público: é preciso planejar cuidadosamente o que será falado e como será falado, para deixar uma mensagem clara e duradoura na mente dos ouvintes.

Fazer palestras é uma ciência, uma missão, uma arte. Requer um preparo que começa muito antes de subir ao palco e abrange:

  • Ter conteúdo consistente e dominar plenamente o assunto da palestra;
  • Conhecer e respeitar o público, suas expectativas e necessidades;
  • Escolher um tema adequado e abordá-lo de maneira diferenciada;
  • Seguir um roteiro com começo, meio e fim;
  • Superar o medo de falar em público;
  • Estabelecer empatia com a platéia;
  • Ter expressão verbal e corporal apropriada; e
  • Saber usar recursos audiovisuais.

Mas, além de todos esses tópicos, não podemos esquecer da ética por trás desta carreira. Este mercado vem criando suas normas para inibir os aventureiros e, prova disso, é a Convenção que aconteceu em abril de 2007 no Texas - a 21ª. Convenção Internacional de Bancos de Palestrantes, organizada pela IASB (International Association of Speakers Bureaus). Um dos principais temas discutidos neste ano foi ÉTICA - "Como ter sucesso de forma ética quando outros violam as regras?". Recentemente foi publicado um artigo na revista Forbes americana, falando sobre a prática de alguns bureaus americanos de listarem em seus sites palestrantes sem obter as respectivas permissões, fato este agravado ainda pela inclusão de nomes de empresários que nem ao menos fazem palestras. Isso vai contra o código de ética que todos os bureaus membros da IASB seguem.

A repercussão do artigo foi bastante negativa para o mercado de palestras, e várias ações foram tomadas no sentido de minimizar o impacto. Na sessão que ocorreu na Convenção sobre o tema foram discutidas as práticas não só dos bureaus, como também das empresas e palestrantes. Neste sentido, infelizmente, o mercado brasileiro tem muitas semelhanças com o americano, e apesar deste tema ser bastante discutido em nosso país, pouco foi feito de forma efetiva para regulamentá-lo.

O nosso mercado está em rápido crescimento, e com certeza, este será um assunto bastante presente e debatido. O que foi bastante falado durante a convenção é que temos que voltar a confiar mais uns nos outros - será que isso é possível frente a todo o cenário que enfrentamos diariamente? Com certeza este será um desafio de cada um de nós, dia após dia. Porém, se você também sonha com a carreira de palestrante, não desanime com os obstáculos a serem vencidos. Fale com quem já atua no mercado, busque informações com bancos de palestrantes e procure profissionais qualificados para ajudá-lo.

No Brasil existem empresas que estão se especializando em preparar os profissionais para atuar neste mercado. A carreira de palestrante, quando encarada como tal, é bastante promissora e gratificante. Mas, como toda carreira, é necessário esforço e perseverança.

Conheça o curso relacionado
Empreendedorismo para Palestrantes

Edmar Oneda
máster em programação Neurolingüística, Coach, diretor e fundador da Academia do Palestrante.

fonte: site coletiva.net - 03/03/08

Tel.:(11) 3884-6558